sábado, 27 de dezembro de 2008

Novo Ano - Novo Email

Avisamos a todos que o Centro de Artes Tradicionais tem um novo endereço electrónico - cat.celeirocomum@turismodoalentejo-ert.pt

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Promoções na Loja do Celeiro

A partir de hoje e até ao fim do ano passe pelo seu Centro de Artes Tradicionais para aproveitar as promoções de 25% na Loja do Celeiro. É só até ao dia 31 de Dezembro!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL

O Centro de Artes Tradicionais deseja a todos votos de um Santo e Feliz Natal! Hoje estamos encerrados ao público mas amanhã cá estaremos de portas abertas para o receber!
Até lá deixamos a imagem de um presépio existente na exposição temporária "Oficina da Terra. Dez anos de sorrisos em barro"
Presépio do beijinho, 2002 Évora, Tiago Cabeça e Magda Ventura Cerâmica e tinta acrílica Colecção Fernanda e Fernando Canha da Silva

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Reportagem sobre o Centro de Artes Tradicionais no Parlamento Global

Rute Lacerda, jornalista da Sic produziu em Outubro uma reportagem sobre o Centro de Artes Tradicionais, cujo link deixamos no nosso blog para quem desejar visualizar um pequeno filme exemplificativo deste espaço museológico!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Imagens do Concerto de Natal do Centro de Artes Tradicionais

O Sr. Adelino Ribeiro, responsável pelo Grupo Infantil dos Assentos, no uso da palavra.
Crianças do Grupo a cantar temas natalícios. Assistência presente no Concerto de Natal promovido pela Turismo do Alentejo

sábado, 20 de dezembro de 2008

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Actuação do Grupo Infantil dos Assentos

Para quem não pôde estar presente no Concerto de Natal do Centro de Artes Tradicionais, deixamos aqui um breve vídeo de uma das canções do Grupo Infantil dos Assentos.

video

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

CONCERTO DE NATAL DE 2008

Esta noite, pelas 21 horas celebramos o Natal no Centro de Artes Tradicionais com as maravilhosas vozes das crianças do Grupo Infantil dos Assentos e mais 61 espectadores!!!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

AMANHÃ VENHA ASSISTIR AO CONCERTO DE NATAL

A Turismo do Alentejo celebra a quadra natalícia com a apresentação de um Concerto de Natal a realizar amanhã à noite no Centro de Artes Tradicionais, em Évora. A actuação, com entrada livre, ficará a cargo do Coro Infantil dos Assentos. Constituído por 35 crianças, este grupo de Portalegre irá apresentar ao público músicas alusivas à época natalícia, cumprindo os seus objectivos de promoção e divulgação da música coral e instrumental.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

GRUPO INFANTIL DOS ASSENTOS

O Coro Infantil dos Assentos – Portalegre tem efectuado concertos em diversas localidades, com uma maior incidência no distrito de Portalegre, donde se destacam pela sua importância os Concertos de Natal na Sé de Portalegre, a Feira de Gastronomia do Crato, 2nd European Thematic Conference-Food is Cultural Heritage e Concertos de Reis nomeadamente na Presidência da República em 6 de Janeiro de 2005, a Sua Excelência o Senhor Presidente da República Portuguesa Dr. Jorge Sampaio e esposa.
O Coro Infantil dos Assentos participou também em encontros de Coros Infanto-Juvenis em Alcácer do Sal, Aradas/Aveiro, Comenda/Gavião, Espinhel/Águeda, Faro, Golegã, Lagos, La Codosera/Espanha, Ourém, Rio Tinto, Setúbal e Vila Real.
Venha assistir à sua actuação em Évora, no Centro de Artes Tradicionais, é já no dia 18 deste mês, pelas 21 horas.
Citado: CIAPTG

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

CONCERTO DE NATAL NO CENTRO DE ARTES TRADICIONAIS

O CORO INFANTIL DOS ASSENTOS, de Portalegre, vem actuar no Centro de Artes Tradicionais na quinta-feira, dia 18 de Dezembro, às 21 horas. Venha celebrar connosco o Natal! A entrada é livre.
O Coro Infantil dos Assentos, de Portalegre, é constituído por um conjunto de 35 crianças, com idades compreendidas entre os 5 e os 17 anos. Criado em 2004, tem como objectivo promover e divulgar a música coral e instrumental, a intervenção social, o apoio à infância e juventude, a promoção de actividades lúdicas, desportivas, recreativas, culturais e educativas, encontrando-se também a promover a construção da sua sede social.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Hoje, dia 8 de Dezembro, é o Dia da Imaculada Conceição da Virgem St.ª Maria, Padroeira de Portugal. Para celebrar este feriado nacional, deixo-vos a imagem de uma peça da nossa exposição temporária "Oficina da Terra. Dez anos de sorrisos em Barro".
Nossa Senhora da Conceição, 2008 Évora, Tiago Cabeça e Magda Ventura Cerâmica e tinta acrílica Colecção Conceição Bismarck

domingo, 7 de dezembro de 2008

OS PRESÉPIOS NA EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA

Também na exposição temporária do Centro de Artes Tradicionais temos um núcleo dedicado aos Presépios.
A Oficina da Terra tentou promover Évora como a "Cidade do Presépio" através de exposições na Igreja de S. Vicente em Dezembro de 2004, 2005 e 2006, incluindo artistas convidados. Este projecto foi uma tentativa de continuidade a uma primeira grande Exposição de Presépios "Entrai pastores entrai", promovida pelo Rotary Clube de Évora e pelo casal Canha da Silva, em 2002.
Presépio do beijinho (Miniatura), 2008 Évora, Tiago Cabeça e Magda Ventura Cerâmica e tinta acrílica Colecção Oficina da Terra

sábado, 6 de dezembro de 2008

PRESÉPIO DE VIANA DO ALENTEJO

A produção de olaria de Viana do Alentejo é conhecida pela manufactura de peças utilitárias de grandes dimensões, bastante resistentes e vidradas, como os grandes alguidares para a preparação de alimentos para as cozinhas conventuais.

Mas a partir dos anos 60, com a criação de uma Escola Técnica em Viana do Alentejo, surge neste centro oleiro peças escultóricas, de cores variadas, que representam motivos tradicionais de forma inovadora. Ao apostar na aproximação de linhas dinâmicas e modernas, esta Escola introduziu a técnica de faiança e estimulou oleiros como João Pacheco.

Como estamos a aproximar-nos da época natalícia, não deixe de visitar este núcleo da exposição permanente do Centro de Artes Tradicionais para desfrutar dos seus alegres presépios.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

OS PRESÉPIOS DE VIANA DO ALENTEJO NA EXPOSIÇÃO PERMANENTE

Em 1977, existiam em Viana do Alentejo as olarias de António Agostinho, Feliciano Agostinho, João António Narciso, Manuel António Destapado, Francisco Narciso Lagarto e Ricardo Francisco Marcelino, produzindo essencialmente louça utilitária. Com um funcionamento irregular funciona na vila uma Escola Técnica, responsável pelo incentivo da realização de peças criativas e pela introdução da técnica de faiança, uma produção conhecida no Alentejo, apenas na existência efémera da Fábrica de Estremoz.
Dessa produção dos anos sessenta e setenta destaca-se o trabalho de João Pacheco, que para além das peças tradicionais, dedicou-se a execução de esculturas de barro, com um colorido muito pessoal. Nos seus presépios em estruturas denota a aproximação das linhas dinâmicas e modernas.
PRESÉPIO Cerâmica Vidrada Viana do Alentejo. João Pacheco, c.1962-1965 CAT 630.CER Altura: 18 cm X Largura: 12 cm X Comprimento: 20 cm Citado: Catálogo da exposição permanente "Marcas de Identidade"

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

OS PRESÉPIOS DE CORTIÇA NA EXPOSIÇÃO PERMANENTE

Estamos em Dezembro e o Natal está a chegar! Fuja da azáfama das compras e passe pelo Centro de Artes Tradicionais para descobrir os vários presépios existentes na exposição permanente "Marcas de Identidade".
Pastor e trabalhador rural nascido em Arraiolos, Ambrósio José Portalegre (c.1923 - c.1985), que nas horas vagas se dedicava a trabalhos de escultura em cortiça, passou, por volta dos anos cinquenta, a dedicar-se exclusivamente à produção de esculturas em cortiça.
Em 1952, faz a sua primeira apresentação pública de trabalhos, com a participação no concurso organizado pela Fundação Nacional para a Alegria do Trabalho - organismo criado pelo Estado Novo para estimular o desenvolvimento físico e cultural das classes trabalhadoras -, onde recebeu o quinto prémio com um extenso conjunto de figuras que ilustravam todos as fases da cultura do trigo e da manufactura da farinha. Dez anos passados, o reconhecimento público atinge o auge quando participa no concurso-exposição dos Jogos Florais do Trabalho, onde é galardoado com o primeiro prémio.
A extensa obra de Ambrósio Portalegre caracteriza-se pela utilização de um único material, a cortiça, submetida a um processo prévio de cozedura, minuciosamente trabalhada com o auxílio de facas e navalhas. As miniaturas recriam os mais variados aspectos do mundo rural, seja do trabalho ou das actividades de lazer e denotam uma certa nostalgia de ordem e harmonia, na perfeita distribuição espacial dos objectos, nas referências perfeitamente correctas da utilização de cada um dos utensílios, nos trajes completos e adequados do trabalhador rural, do pastor, da ceifeira, do moleiro. São a reprodução de um tempo abstracto e intemporal, idealizado a partir de um olhar etnográfico, e também a explicitação de um lugar definido para o trabalho do artista popular, a quem cumpre reproduzir e devolver à sociedade a imagem ideal de uma ruralidade pacífica, bucólica e trabalhadora - em consonância com os ideais veiculados pelo Secretariado de Propaganda Nacional.
O interesse suscitado pela cultura popular, nos ideais pós-revolucionários do 25 de Abril, promoveu uma releitura do trabalho de Ambrósio Portalegre, mas, desta vez, são entendidos como a visão particular de uma classe social, e o interesse centra-se preferencialmente na biografia do artesão, ponto de partida fundamental para a elaboração das suas esculturas, sublinhadas como representações do trabalho rural, realizadas em condições adversas, numa ordem social injusta. Vê-se na obra de Ambrósio Portalegre um trabalho de memória e resistência cultural, de reapropriação da capacidade de funcionar como agente de cultura.
Citado: Catálogo da exposição permanente "Marcas de Identidade".

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

CABAZ DE NATAL NA LOJA DO CELEIRO

Outro cabaz de Natal preparado pela Loja do Celeiro é dedicado ao vinho. Pelo preço de 25 €, pode deliciar-se com os seus aromas. Passe pelo Centro de Artes Tradicionais, onde pode visitar as nossas exposições de artesanato do Alentejo e conheça o que a nossa loja tem para oferecer de melhor aos seus na época natalícia.
VINHO Vinho tinto e nacarado, rosé frutado e doce ou branco cintilanete, todo o vinho é celebrado! No Natal com a família, à mesa da consoada, festeja-se com bom vinho a ceia abençoada! CITADO: MONTE / ACE

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

COMPRE O SEU CABAZ DE NATAL NA LOJA DO CELEIRO

A Loja do Celeiro, gerida pela Associação de Desenvolvimento Local MONTE/ ACE, preparou este ano um cabaz de Natal para os visitantes do Centro de Artes Tradicionais e apreciadores daquilo que o Alentejo tem de melhor para oferecer. Hoje divulgamos no nosso blog o CABAZ DE AZEITE, que está à venda por 30 €.
O horário da Loja do Celeiro é idêntico ao do Centro de Artes Tradicionais, das 9.30 às 12.30 e das 14.00 às 18.00 horas, encerrando ao público às Segundas-feiras.

AZEITE

Pela boca, o azeite nos leva à mesa dos comensais, chocolate perfumado, sonhos, azevias de comer e chorar por mais...

CITADO: MONTE/ ACE.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

TALHA "DA RESTAURAÇÃO"

1 de Dezembro, feriado nacional que comemora a Independência da Restauração. O Centro de Artes Tradicionais não quer deixar passar este dia sem vos falar da nossa peça mais antiga existente no espólio - uma talha, datada do ano de 1640, ano importante na história de Portugal.

Desconhece-se a proveniência da talha, que tem no colo, próximo ao gargalo, o esgrafito com o cronograma de 1640. São Pedro do Corval, até 1948, designada por Aldeia do Mato, especializou-se no século XIX, entre os centros oleiros da região, na produção de grandes vasilhames.

Talvez que uma das vantagens dessa localização fosse a facilidade em reunir a lenha necessária para o funcionamento dos grandes fornos, que ainda hoje são um importante património industrial e arquitectónico que é urgente preservar.

È bom lembrar que as maiores talhas poderiam chegar a medir dois metros e meio de altura, a pesarem 700 a 800 quilos e levarem até 3000 litros de vinho (Moniz, 1990:99).

A sua utilização como contentor de vinhos em adegas recua, pelo menos, aos finais do século XV, e para esse fim eram revestidas no interior com uma camada de pez e possuíam um furo circular na base para a colocação de uma torneira.

Talha

São Pedro do Corval (?), 1640 CAT 470.CER Altura: 148 cm x diâmetro máximo 103 cm x diâmetro da base: 24,5 cm

Foto: Manuel Ribeiro.

Citado: Catálogo da exposição permanente "Marcas de Identidade".